terça-feira, 11 de abril de 2017

Trabalhadores param a Argentina em resposta contundente a Macri

Greve geral repudiou política de arrocho salarial, desemprego e
tarifaço do desgoverno neoliberal

Leonardo Wexell Severo

Os trabalhadores argentinos responderam com uma vibrante e massiva paralisação, na última quinta-feira (6), aos reiterados ataques feitos pelo desgoverno do presidente Mauricio Macri contra o seu poder de compra e o desenvolvimento econômico e social do país. A greve geral  em repúdio à política de arrocho salarial, desemprego e tarifaço, iniciou à meia noite de quarta-feira com ônibus, caminhões e até aviões suspendendo os serviços. Apesar da violenta repressão - que usou e abusou dos cacetetes, jatos de água e gás de pimenta -, da liberação dos pedágios e até mesmo da franquia nos estacionamentos da capital, Buenos Aires, o acatamento à convocatória das centrais sindicais alcançou os 90%.

quinta-feira, 16 de março de 2017

Guatemaltecos exigem renúncia do presidente após morte de 40 meninas calcinadas

Familiares velam as vítimas e protestam contra o presidente Jimmy Morales
Leonardo Wexell Severo

Cresce na Guatemala a pressão pela renúncia do presidente Jimmy Morales, acusado pelo assassinato de mais de 40 meninas de 12 a 17 anos no “Lugar Seguro Virgem de Assunção”, em pleno 8 de março. Outras dezenas de vítimas do incêndio no abrigo da Secretaria do Bem Estar Social da Presidência continuam recebendo assistência hospitalar, algumas em estado grave.

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

“Nicarágua, a flor mais linda do meu querer”

Livro contará histórias da solidariedade brasileira à revolução sandinista

Autor de livros sobre o papel da mídia e a América Latina, o jornalista Leonardo Wexell Severo, redator-especial do Hora do Povo, está organizando, junto com o seu irmão Leandro, ex-secretário de Comunicação de São Carlos, o livro “Nicarágua, a flor mais linda do meu querer”. O trabalho, que inclui reportagem fotográfica, relata a história da solidariedade brasileira à revolução sandinista e a luta anti-imperialista. Abaixo, uma pequena entrevista com Leonardo, que continua coletando material para a obra a ser lançada ainda neste ano.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Preso político mais antigo do mundo, líder independentista de Porto Rico será libertado

Centenas de milhares assinaram manifesto pela libertação
Leonardo Wexell Severo

Após 36 anos de cárcere – 12 dos quais em solitária – o preso político mais antigo do mundo, o lutador pela independência de Porto Rico, Óscar López Rivera, será colocado em liberdade pelo governo dos Estados Unidos no final de maio. Até lá, mesmo aos 74 anos, continuará sendo obrigado a realizar trabalhos forçados.

Desde que os EUA invadiram e ocuparam militarmente a Ilha caribenha em 1898, tal qual belo pássaro, o país foi engaiolado. Porto Rico, a “asa que caiu no mar”, como cantou Pablo Milanés, acabou sendo reduzido a uma colônia norte-americana, “estado livre associado” com cidadãos de segunda categoria, sem poder votar nas eleições presidenciais e sequer ter representação em Washington. Ainda sim, os conglomerados de mídia acusam os independentistas de        “separatistas”, como se estivessem condenados a tal “união” para todo o sempre.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Os crimes antissindicais do narcoestado peruano

Direitistas disputam na submissão aos interesses externos

Leonardo Wexell Severo, de Lima-Peru

Passada a sangrenta ditadura de Alberto Fujimori e o estelionato eleitoral de Ollanta Humala, o povo peruano enfrenta agora o desgoverno de Pedro Pablo Kuczynski (PPK) e um parlamento corrupto, controlado pelo narco-fascismo fujimorista. Uma feroz disputa entre direitistas para ver quem é mais submisso ao sistema financeiro e aos cartéis estrangeiros; que se empenham na implantação da política neoliberal de desmonte do Estado, via ajuste fiscal, concessões-privatizações e reformas trabalhista e previdenciária.

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Tribunal corrige injustiça e absolve Raquel Villalba por pretenso “crime” de Curuguaty

Leonardo Wexel Severo, Observador Internacional do caso Curuguaty
Após 4 anos, justiça foi feita para Raquel Villalba
O Tribunal de Sentenças de Salto de Guairá, no Paraguai, decidiu na última quinta-feira pela libertação de Raquel Villalba, de 19 anos, injustamente acusada pelos delitos de “invasão de imóvel alheio” e “associação criminosa” – na qualidade de autora – e “tentativa de homicídio” – na qualidade de cúmplice - no caso de Marina Kue, em Curuguaty. Pré-julgada pela “justiça” e pela mídia paraguaia, ela vinha sendo mantida há quatro anos sob custódia policial. A defesa exigiu - e garantiu - a anulação do processo ao comprovar que o Ministério Público não adotou duas medidas obrigatórias determinadas pelo Código da Criança e do Adolescente, como a avaliação psicológica e psicossocial da jovem no momento dos fatos.

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Assassinato de 8 soldados busca encobrir corrupção no alto mando militar paraguaio

Familiares denunciam crime como armação de Cartes
Leonardo Wexell Severo

A morte de oito soldados ocorrida sábado (27) em um atentado à bomba contra o caminhão em que se deslocavam no interior de Arroyito, em Concepção, cerca de 500 quilômetros ao norte de Assunção, caiu como uma luva para desviar a atenção dos escândalos que abalam o alto mando militar do Paraguai.