sexta-feira, 29 de abril de 2016

Fogo em petroquímica privatizada mata 32 trabalhadores no México

O número de trabalhadores mortos anunciado na explosão da refinaria de Pajaritos, em Coatzacoalcos, Veracruz, operada pela empresa Petroquímica Mexicana de Vinil, chegou a 32, na última quarta-feira. Também ficaram feridos na explosão do dia 20 mais de 160 - 13 em estado grave – além dos desaparecidos.
Leonardo Wexell Severo

quinta-feira, 21 de abril de 2016

Os narcotraficantes e a matança dos sem-terra de Marina Kue

Plantação de 40 hectares de drogas encontradas próximo a Marina Kue
Leonardo Wexell Severo, de Assunção-Paraguai

Com passo firme e olhar determinado, o jornalista argentino José Maria Quevedo entrou na sala do Tribunal de Sentenças do Palácio de Justiça de Assunção, no dia 15 de abril, para dar seu testemunho sobre o massacre de Curuguaty. Participante do minucioso levantamento realizado pela Plataforma de Estudo e Investigação de Conflitos Camponeses (PEICC), o jornalista se dirigiu ao local do massacre onde colheu durante meses inúmeros depoimentos, montando o quebra-cabeça e calcificando convicções sobre a armadilha.

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Paraguai: Vigília denuncia onda de superfaturamentos e exige a renúncia da ministra de Educação


Protesto à noite em frente ao Ministério
Leonardo Wexell Severo, de Assunção


Com cartazes condenando a onda de superfaturamentos e tochas erguidas para iluminar os descaminhos percorridos pelo governo Cartes, estudantes, pais e professores realizaram na noite de quarta-feira uma vigília em frente ao Ministério da Educação para exigir a imediata renúncia da ministra Marta Lafuente.

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Dezenas de milhares de agricultores paraguaios exigem fim do privilégio aos bancos, às transnacionais e ao agronegócio


Pequenos agricultores tomam o centro de Assunção
“Horacio, Horacio, fora do Palácio”, entoaram milhares de manifestantes acampados em frente ao Congresso Nacional do Paraguai exigindo medidas de apoio à agricultura camponesa, familiar e indígena, e o fim do privilégio dado aos bancos e ao agronegócio.

Leonardo Wexell Severo, de Assunção

quinta-feira, 17 de março de 2016

Curuguaty: “cleptocracia oligárquica usa mentira para condenar inocentes”

Livro “Relatos que parecem contos” defende camponeses que são presos políticos no Paraguai

Com uma pormenorizada descrição dos crimes praticados pela “cleptocracia oligárquica” que comanda o Paraguai, “Relatos que parecem contos” (Editora Litocolor, 112 páginas, 2014) repudia o reiterado “uso da mentira para condenar inocentes”, “cujo exemplo mais recente e patético é o de Curuguaty”. Sobreviventes do massacre que matou 17 pessoas, os doze sem-terra de Curuguaty encontram-se há quase quatro anos privados de liberdade, acusados por um crime que não cometeram.

terça-feira, 1 de março de 2016

“Latifúndio dos Riquelme é bunker da atividade delitiva no Paraguai”

Satélite registra em rosa o mar de droga

Afirma Dario Aguayo, advogado dos presos políticos de Curuguaty


Leonardo Wexell Severo

"No Paraguai, o latifúndio Campos Morombi, de Blas Riquelme, pretendeu anexar, com o massacre de Curuguaty, os dois mil hectares das terras públicas de Marina Kué. Tudo para ampliar seu mar de maconha e soja transgênica”, denunciou Dario Aguayo Dominguez, advogado dos camponeses presos políticos do governo de Horacio Cartes. E sublinhou: “em Morombi está localizado um bunker da atividade delitiva”.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Curuguaty: Ministério Público usa mentira como arma

Advogados desmontam invencionices do Ministério Público

Cai no ridículo a manipulação contra camponeses paraguaios.

À medida em que transcorre o processo aberto contra os camponeses de Marina Kue, em Curuguaty, pelo advogado e promotor fiscal Jalil Rachid – atualmente vice-ministro da Segurança do Paraguai - vai ficando mais nítida a instrumentalização do caso como arma do latifúndio contra a desconcentração de terra e de renda.