quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Arco Mineiro na Venezuela viola soberania, democracia e direitos


Governo Maduro rasga a Constituição de Chávez


Decreto de Maduro “amputa” área de 112 mil km2, superfície maior que Bulgária, Cuba e Portugal, e escancara para 150 multinacionais de 35 países explorarem centenas de milhões de toneladas de minerais, como bauxita, ouro, cobre e diamantes, por até 40 anos, comprometendo ainda as principais fontes de água doce que abastecem as centrais hidrelétricas que geram 70% da energia do país. Atropelo à Constituição da República Bolivariana da Venezuela (CRBV) anula também os direitos de reunião, trabalhistas, sindicais e de associação dos moradores da zona, equivalente a 12% do território nacional. Integrantes da Plataforma pela Anulação do Arco Mineiro do Orinoco e da Plataforma Cidadã em Defesa da Constituição, ex-ministros e parlamentares chavistas, juristas, intelectuais, movimentos sociais e indígenas defendem a imediata revogação do disparate entreguista, “feito sem qualquer estudo de impacto ambiental ou consulta às comunidades afetadas”. “A partir do colapso do modelo rentista, é urgente deter a crise e buscar saídas viáveis ao atoleiro em que se encontra o país”, sublinham.


Leonardo Wexell Severo


terça-feira, 15 de agosto de 2017

Anti-imperialismo: Bolívia comemora o Cinquentenário da luta heróica do Che

Com a presença de Evo Morales, cidade de Vallegrande sediará jornada internacional de 4 a 9 de outubro
 A cidade de Vallegrande, na Bolívia, sediará entre os dias 4 e 9 de outubro uma jornada internacional anti-imperialista com debates, apresentações musicais e documentários para relembrar os 50 anos do desaparecimento físico de Ernesto Che Guevara, que travou na região seu último combate. Capturado, o guerrilheiro heroico foi executado clandestinamente pelo Exército boliviano com a colaboração da CIA.